Tragédia em Brumadinho: 5 ações de gerenciamento de crise que a Vale deveria ter tomado

Tragédia em Brumadinho: 5 ações de gerenciamento de crise que a Vale deveria ter tomado

Neste artigo e no vídeo abaixo serão discutidos alguns pontos sobre a tragédia em Brumadinho. É importante ressaltar que nesse vídeo não vamos discutir as mortes e diversos os impactos sociais e ambientais da tragédia. Mas é importante discutir isso com um ponto de vista mais técnico, levando em conta ferramentas como relações públicas, comunicação interna e planejamento estratégico, justamente para tentar evitar tragédias futuras.


E no final serão citadas 5 ações de gerenciamento de crise que a Vale deveria ter tomado para evitar o minimizar os efeitos de uma tragédia como esta.

O vídeo e artigo abaixo serão divididos nos seguintes tópicos:

  • O que é gerenciamento de crise e como gerenciar uma crise;
  • O que a Vale tem feito;
  • O que a Vale precisaria fazer.

O que é e como gerenciar uma crise:

  • Gerenciamento de crise é uma atividade que visa minimizar, reduzir ou eliminar os impactos causados por adversidades nas empresas, para que tenham o menor prejuízo financeiro e reputacional possível;
  • Gestão de crise faz parte da gestão da empresa e deve ter a devida importante;
  • Melhor forma de gerenciar uma crise é não deixar que ela aconteça;
  • O profissional de comunicação e RP deve ter um papel importante nas tomadas de decisões de outros setores da empresa. Deve abrir os olhos dos dirigentes pra que os investimentos certos sejam feitos, inclusive em estrutura, avaliação de riscos, auditorias, controle de qualidade, etc.;
  • Mitigar a crise depois que acontece é muito mais trabalhoso.

 

O que a Vale tem feito:

  • Comprovou vistoriais feitas na barragem, mas vistoriais por amostragem (economia)
  • Discurso desalinhado:
    • Presidente: agiu rápido e fez diversas declarações, inclusive um vídeo publicado no YouTube;
    • Advogado: empresa não vê responsabilidade pelo acidente. Mineradora o proíbe de falar e diz que só vai se pronunciar pela assessoria.
  • Começou o cadastro de famílias de mortos e desaparecidos para que recebam uma “doação”, nas palavras do porta-voz da empresa, de R$ 100 mil cada. Afirmou que sabe que esse valor não é uma indenização, que potencialmente terão valores maiores.

 

O que a Vale precisaria fazer:

  • Alinhar discursos (jurídico, comunicação, direção) para evitar ruídos;
  • Abrir canais de comunicação diretos com a população das áreas afetadas;
  • A conta é simples: além de todas as mortes e prejuízos sociais e ambientais, o prejuízo foi e será infinitamente maior a curto, médio e longo prazo. Se alguém com autonomia decisiva tivesse mostrado isso em números antes da tragédia, talvez ela poderia ter sido evitada;
  • Reconstruir credibilidade a médio/longo prazo (impossível?);
  • Aprender com os erros: 2 tragédias em 2 anos (previsibilidade / plano de resolução e mitigação). Incidentes acontecem, imprevistos não podem.

 

E o que nós, enquanto seres humanos, responsáveis pela destruição gradual da nossa própria casa, nossa única casa, podemos fazer?

Confirma alguns links de ajuda abaixo.

 

LINKS CITADOS NO VÍDEO OU PARA QUEM QUER AJUDAR DE ALGUMA FORMA A REGIÃO E POPULAÇÃO AFETADOS PELA TRAGÉDIA:

LINKS QUE PODEM TE AJUDAR PROFISSIONALMENTE:

📝 Ferramentas essenciais para Freelancers

📝 Mais completo curso de Marketing Digital que já existiu

📝 Aprenda Photoshop

📝 Aprenda Illustrator

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *